Espaços Públicos – 2

Segue a série de perguntas para os candidatos a prefeito de Lages:

Airton Amaral

– Serão analisadas várias opções de ocupação, dentre elas a possibilidade da cessão de uso para que a iniciativa privada assuma sua gestão, desonerando os cofres públicos e oferecendo atrativos de qualidade para turistas e visitantes.

– Nossas Praças (Calçadão, Joca Neves, Vidal Ramos Sênior, dentre outras), Teatro e demais espaços deverão ter atividades culturais variadas com apresentações ao público. Uma das propostas é a criação de concursos alternativos (mostra de danças, músicas, culinária, etc.) para que tenhamos o envolvimento do público local, além de reforçarmos os atrativos turísticos.

Antonio Ceron

A Fundação Cultural tem uma série de equipamentos e espaços culturais que estão diariamente abertos a comunidade para uso e ocupação: O Museu Histórico Thiago de Castro, o Memorial Nereu Ramos, a Biblioteca Pública Municipal, o Ponto de Leitura no terminal urbano, a Escola de Artes, os Núcleos do Programa Lages Melhor, o teatro Municipal Marajoara, a Praça CEU (Estação Cidadania) e agora mais recentemente o Espaço Cultural Aristiliano Ramos e o Casarão Juca Antunes.

Acreditamos e queremos que esses espaços sevem ser ocupados por todos, eles servem para a manutenção da nossa cultura, com a realização de eventos, exposições, lançamentos de livros, visitações etc. Assim estaremos difundindo a nossa cultura. Através de editais de credenciamento, artistas de todas as áreas poderão usufruir de todos esses espaços culturais.

Carmem Zanotto

Num primeiro momento é importante ampliar a escuta com o setor cultural, são centenas de trabalhadores e trabalhadoras da cultura que precisam ser ouvidos. Dessa maneira vamos aprimorar as formas de ocupação dos espaços públicos e equipamentos culturais, sendo coerentes com as necessidades do setor e o interesse público.

A partir desse diálogo será possível estabelecer parcerias legais para cessão e locação dos espaços, democratizando o uso para os grupos locais e o acesso para toda a população, promovendo a devida regulamentação das atividades com segurança jurídica e sanitária.

Lucas Neves

Alguns estão citados na resposta anterior

Teatro Marajoara. Festivais Regionais. Apresentações de peças teatrais do circuito nacional.

Fundação Cultural de Lages:  Administração e gestão da cultura serrana. Trabalhos de formação e qualificação dos funcionários efetivos, auditório. Exposições de artes Plásticas.

Organização de atividade e datas temáticas, Semana Farroupilha, República Lageana, Festa Cultural do Pinhão. Pesquisa, Produções, Edições, Sapecada da Canção Nativa. Etc.

Elaborar  editais participar de editais e de projetos das Leis de Incentivo à Cultura. Valorizar a arquitetura e restauros.

Museus: qualificação dos funcionários. Elaboração de projetos e participação de editais. Divulgação dos materiais de acervo.

Professor Cleimon Dias

Nossa administração será popular e participativa, dessa forma não tomaremos decisões verticais. Vamos ouvir a população para que encontremos uma melhor forma de utilizar esses espaços. Sempre na perspectiva de incluir todas as pessoas, de todos os gêneros, raças e classes sociais. Possibilitando que os diversos artistas estejam integrados aos espaços e realizando parcerias com entidades promotoras de produções culturais.

No caso específico do Museu Thiago de Castro, temos em nosso plano de governo o compromisso de implementar o Plano Nacional de Museus, que é responsabilidade do poder público municipal. Consideramos relevante incluir o nosso compromisso em realizar o Festival de Teatro de Lages(Fetel), apoiar eventos como a Mostra de Cinema Curta Lages, entre outros festivais que possam ser realizados. A feiras de arte e artesanato também terão espaço nos locais públicos.

Professor Ed

– Valorizar a produção de bandas e músicos de todos os estilos musicais em Lages, através da promoção de eventos abertos em espaços públicos, otimizando o uso da praça Joca Neves (sem grades) e também de maneira itinerante nos bairros;

– Promover projetos de educação permanente sobre a valorização social do patrimônio histórico da cidade em parceria com as associações de moradores para a população em geral; com as instituições de ensino para os estudantes do sistema municipal; e com associações de comerciários para os trabalhadores do comércio e do setor de serviços;

Os espaços públicos destinados à arte em Lages, levando em consideração a tradição histórica da cultura no município, bem como o tamanho e o porte da cidade, são praticamente esquecidos. Há que se criar a possibilidade de as pessoas acessarem esses espaços, com calendários regulares de apresentações que valorizem as organizações artísticas da região, principalmente, mas que consigam também trazer de fora da cidade espetáculos que nos possibilitem o intercâmbio, o crescimento e a ampliação dos horizontes culturais. Para isso, a parceria com agentes culturais é fundamental e deve ser além de estimulada, buscada de forma ativa pelo município. Neste tópico da resposta se inserem o Teatro, a Fundação e as

Praças, como o Calçadão e a Joca Neves. Quanto ao Mercado Público e a Casa do Juca Antunes se a atual administração finalizar os processos que iniciou, provavelmente não se poderá reverter a utilização por força de contrato. Se eu fosse o prefeito, o edital do Mercado, por exemplo, já seria diferente.

Quanto aos museus a ideia é aproveitá-los ao máximo em projetos vinculados à valorização do nosso patrimônio histórico-cultural e repito, para isso as pessoas precisam acessar esses espaços. Isso exige iniciativas vinculadas às políticas públicas de Educação, Assistência Social e

Comunicação da Prefeitura que ofereçam as condições de acesso para a população, exige também da Fundação Cultural a mediação necessária para que as ações sejam efetivas.

Faça contato pelo @edergoulartoficial e vozesdaserra@gmail.com